Você está aqui: Home // Linhas de Pesquisa // IOT – Instituições, Organizações e Trabalho / Institutions, Organisations and Work

IOT – Instituições, Organizações e Trabalho / Institutions, Organisations and Work

Click here to see this text in english

A área de IOT focaliza o conjunto de abordagens teóricas que vêm sendo objeto dos esforços intelectuais de seus docentes, entre as quais destacam-se a sociologia econômica, as redes sociais, de cooperação e políticas, o novo institucionalismo na análise organizacional, a análise do trabalho e de seus condicionantes organizacionais e a economia de custos de transação. Uma das iniciativas dessa linha é o Núcleo de Estudos em Sociologia Econômica e das Finanças – NESEFI [www.nesefi.dep.ufscar.br], composto por alunos de mestrado, doutorado e graduação vinculados ao DEP e a outros cursos e programas da UFSCar e mesmo fora dela.

Temas de Pesquisa

  • Economia Institucional:

Linha de investigação que se propõe em estudar a influência das instituições na vida econômica com foco nos custos de negociação entre os agentes, no poder de mercado resultante de coordenações consideradas mais eficientes e nas políticas de regulação dos variados mercados. Nessa orientação, temas como assimetria de informações, incertezas e riscos morais nas celebrações de contratos e acordos tácitos, esquemas de integração vertical e de quase-integração em cadeias produtivas podem receber atenção específica para estudos de competitividade e de estratégias das firmas nos mercados. Formações de redes de cooperação como formas alternativas e híbridas de governança dos mercados são estudadas com o objetivo de aprimorar conceitos e variáveis de análise da economia institucional.

  • Estudos de Redes:

A partir da abordagem de redes procura-se investigar problemas de naturezas bastante distintas, tais como: redes sociais, redes de poder, redes de cooperação etc. Os estudos podem ou não utilizar ferramentais mais formalizados. Além de caracterizar as redes, procura-se também especular sobre as conseqüências – econômica ou não – de tais configurações. As análises são desenvolvidas tanto da perspectiva de redes como forma de governança, quanto como forma de análise.

  • História das Organizações e seus Agentes:

Utilizando-se como referencial teórico a própria Teoria das Organizações, nosso objetivo aqui é analisar trajetórias organizacionais concretas – envolvendo a criação, o crescimento, o desenvolvimento, a evolução, a involução, o desaparecimento etc, de organizações ao longo do tempo. Essa perspectiva de análise, ao incorporar uma abordagem das condições históricas que produziram determinadas configurações organizacionais, é capaz de enriquecer e complementar com proveito enfoques do tipo “aqui e agora”. Ao mesmo tempo, existe a possibilidade de se operar um recorte não da organização em si, mas da inserção de um tipo de agente social no interior das organizações (o empresário, por exemplo, ou mesmo uma determinada categoria profissional). Nesse caso, tendo-se em vista a relevância dos imigrantes na conformação histórica do tecido empresarial paulista, é oportuno investigar o modus operandi do que se convencionou chamar por economia étnica.

  • Sociologia Econômica e Governança:

A área de sociologia econômica ganhou muita importância recentemente, apresentando-se como um caminho de evolução natural de muitos pesquisadores que nas décadas passadas se interessavam por estudos organizacionais, sociedade agrária, marginalidade urbana, emprego e trabalho. Num outro caminho, observamos o interesse crescente de analistas, originários dos estudos sociais sobre as ciências, pela construção e difusão de instrumentos financeiros modernos. É assim que a rubrica “Sociologia Econômica” recobre atualmente as influências das finanças sobre o universo das organizações, estudos sobre a efetividade de políticas públicas de combate à pobreza e criação de emprego e renda, novas conformações das inserções econômicas e dos mercados correspondentes, bem como o estudo crítico do mundo das finanças e das transformações que ele tem engendrado em outras esferas da sociabilidade contemporânea, tais como as famílias, as profissões, a educação e a organização do trabalho industrial, rural e nos setores de serviços.

  • Teoria das Organizações:

Os projetos e orientações aqui desenvolvidos partem da premissa de que a organização é um fenômeno multifacetado que não pode ser satisfatoriamente compreendido a partir de uma única perspectiva teórica. Por conta disto abordagens complementares (e até concorrentes), podem ser adotadas. Em geral trabalham-se temas ligados a: responsabilidade social, aprendizagem organizacional, jogos de empresas, desenhos organizacionais vários, dinâmicas adaptativas, campo organizacional etc, tanto em organizações privadas quanto publicas.

  • Trabalho e Organizações:

A análise do trabalho e de seus condicionantes organizacionais aparece aqui como objeto central de análise. Para essa perspectiva, importa a análise do trabalho delimitado pelas características formais e informais das organizações, que criam constrangimentos objetivos e significados subjetivos a seu exercício pelos diferentes trabalhadores e profissionais. Esse tema guarda interfaces relevantes com outros campos disciplinares, tanto internos à Engenharia de Produção, quanto externos, como Economia, Sociologia e o próprio Direito do Trabalho, mantendo sua especificidade ao privilegiar as relações entre trabalho e contextos organizacionais concretos, pautada principalmente por preocupações de cunho analítico.

  • Governança e Desenho Institucional/Organizacional:

Considera-se que as ações individuais e coletivas ocorrem no interior de um quadro referencial institucional que tanto delimita quanto incentiva escolhas entendidas como ‘construções racionais’, funcionando como elemento de governança destas escolhas. A partir de referenciais teóricos fundados na teoria das organizações, na sociologia econômica e no neo-institucionalismo, esta linha de pesquisa objetiva identificar os elementos de governança associados à dinâmica da inovação tecnológica (em produto, processo ou gestão), nos campos organizacional e inter-organizacional, procurando daí derivar contribuições para desenhos organizacionais e políticas que estimulem positivamente estas dinâmicas.

Disciplinas

Docente (Currículo Lattes)  E-mail

Prof. Dr. Júlio César Donadone julio@dep.ufscar.br

Prof. Dr. Luiz Fernando de Oriani e Paulillo dlfp@ufscar.br

Prof. Dr. Mário Sacomano Neto msacomano@ufscar.br

Prof. Dr. Oswaldo Mário Serra Truzzi truzzi@ufscar.br

Prof. Dr. Roberto Grun drgr@ufscar.br

Copyright © 2017 | Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção - DEP - UFSCar | Todos os direitos reservados
Powered by WordPress.