Gestão da Tecnologia e da Inovação – GTI

 

A área de GTI dedica-se ao estudo da dinâmica competitiva e do comportamento dos agentes com relação à tecnologia – entendida de maneira abrangente como o conhecimento com fim prático que propicia o desenvolvimento da inovação. Envolve o estudo das formas (arranjos, mecanismos e tipos de coordenação intra e inter-firmas) utilizadas pelas empresas para a aquisição de tecnologia, dos processos de inovação, dos sistemas administrativos implementados para a capacitação tecnológica e melhoria da produção e das operações empresariais e, ainda, dos impactos da tecnologia e da inovação no desenvolvimento sustentável dos agentes econômicos e da economia.

 

Temas de Pesquisa

Transferência de Tecnologia, Cooperação U-E-G e Propriedade Intelectual

 Este tema de pesquisa visa uma melhor compreensão dos processos de geração e transferência de tecnologia, particularmente abordando as relações universidade-empresa-governo, bem como o papel de cada um desses atores no desenvolvimento tecnológico nacional. Nesse contexto, questões relacionadas à propriedade intelectual também aqui são abordadas.

 

Empreendedorismo e Empresas de Base Tecnológica

O comportamento empreendedor tem se mostrado cada vez mais importante para nossa sociedade, seja quando se desdobra na criação de uma empresa, seja quando reflete a atitude de um profissional dentro de uma organização. Nesta linha de pesquisa, o tema empreendedorismo é estudado tanto do ponto de vista da formação acadêmica necessária nos cursos de graduação quanto do perfil das empresas geradas a partir da ação empreendedora como mecanismos de transferência de tecnologia (spin-offs acadêmicas).

 

Ambientes de Inovação (Polos, Parques, Clusters, Incubadoras)

Neste tema de pesquisa são estudados arranjos institucionais utilizados como mecanismos de transferência de tecnologia e de desenvolvimento econômico regional. A avaliação de tais mecanismos permite a geração de subsídios para políticas públicas e a proposição de ações particularizadas no sentido de torná-los mais eficientes na consecução de seus objetivos.

 

Spillovers de Conhecimento e Produtividade

A literatura aponta o investimento estrangeiro direto (IED) como um catalisador para a produtividade e a eficiência das empresas nacionais dados efeitos positivos de spillovers de conhecimento, de modo que muitos governos buscam atrair esses investimentos por meio de vários incentivos. Tais spillovers de

produtividade ocorrem porque as empresas multinacionais tendem a ser tecnologicamente e gerencialmente superiores às empresas nos países em desenvolvimento. Contudo, tal dinâmica é afetada por um grande conjunto de variáveis, como a capacidade de absorção de conhecimento das organizações locais, dotações institucionais, estruturas produtivas locais, e a proximidade espacial, tendo em vista que a transmissão de conhecimento tende a ser geograficamente limitada. Aprofundar o conhecimento de tais dinâmicas no contexto brasileiro é de extrema relevância, tendo em vista a sua importância para o aumento da produtividade e competitividade das empresas nacionais.

 

Inovação e Economia Circular

A economia circular encompassa um modelo produtivo reparador e regenerador em que o atendimento das necessidades humanas é realizado via produtos e serviços projetados ou reprojetados para eliminar a geração de resíduos ao mesmo tempo em que minimiza os impactos negativos. Neste contexto, o objetivo deste tema é estudar como os aspectos de gestão estratégica da inovação são influenciados ou podem influenciar a construção deste novo paradigma. Envolve estudos qualitativos e quantitativos sobre drivers e barreiras, modelos de gestão da inovação, estratégia de inovação sustentável, gestão de portfólio sustentável, indicadores de inovação sustentável, sistemas de mensuração nos contextos individual, cadeia e da economia como um todo, entre outros.

Gestão Estratégica das Operações e da Sustentabilidade

Este tema tem como objetivo principal estudar como as questões da sustentabilidade influenciam e interferem nos vários elementos de gestão estratégia das organizações. Envolve estudos qualitativos e quantitativos sobre drivers e barreiras, postura estratégica e estratégia, alinhamento estratégico, sistemas de mensuração e metas e controle, práticas de gestão, níveis de maturidade, impactos no desempenho organizacional, entre outros.

 

Sociedade, Economia e Inovação

Abordagens sobre as relações entre ciência, tecnologia e sociedade; As dimensões de classe, gênero e raça na construção social da tecnologia; Conflitos de interesses no desenvolvimento tecno-científico; Impacto das novas tecnologias no emprego, na organização do trabalho, na economia e no meio ambiente; Compreensão dos diferentes atores sociais no campo da inovação, como: Estado, universidade, empresa, sindicatos, pessoas e grupos sociais.

 

Redes, Recursos e Instituições para Inovação

Estudo da relação entre as redes, recursos, instituições para a inovação; Influencia das relações e da estrutura dos atores sociais na distribuição de recursos; influência dos níveis institucionais para a inovação.  Estudo do comportamento individual e coletivo da inovação; Estudo dos indivíduos, da interação dos atores sociais e das mudanças institucionais para inovação; Problemas de assimetria de informação, poder, conflitos, agência, competências, custos de transação, recursos, instituições e outros elementos explicativos da inovação.

 

Disciplinas

 

Docentes

Nome (clique para ver o Currículo Lattes)  E-mail

Profª Dr. Ana Lúcia Vitale Torkomian torkomia@ufscar.br

Prof. Dr. Herick Fernando Moralles herickmoralles@dep.ufscar.br

Prof. Dr. Mário Sacomano Neto msacomano@ufscar.br

 

Copyright © 2017 | Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção - DEP - UFSCar | Todos os direitos reservados
Powered by WordPress.